Aprendendo com Chico Xavier - Allan Kardec, vida e obra - Filosofia Espírita - Conhecendo - Com Você - Educação -
Pensamentos para o dia-a-dia - História do Espiritismo - Datas Espíritas - Página Principal
- Campanha pela Paz Mundial - Rede de Notícias Espíritas - Loja Virtual - Quem Somos - Links Espíritas - Mídia Espírita - Cadastro - Crítica Literária Espírita - Em Defesa da Vida

Crítica Literária

Dimensões Espirituais do Centro Espírita
 
Autor: Suely Caldas Schubert
Médium: (não mediúnico)
Editora: Feb
Número de Páginas: 319
Lançamento: 2006

Análise de Marcus De Mario*

Existem obras que são consideradas referências, indispensáveis e recomendadas a todos os que se interessam pelo assunto que a referida obra trata. É o caso de Dimensões Espirituais do Centro Espírita, escrito por Suely Caldas Schubert. Mesmo para quem estuda há muito tempo o Espiritismo, e está engajado ativamente no Centro Espírita, o conteúdo desse excelente livro surpreende positavemnte, pois a autora - muito conhecida pelos seus outros livros, além da realização de palestras e seminários por todo o país - reuniu larga e profunda pesquisa nas obras psicografadas pelos médiuns Chico Xavier, Divaldo Franco e Yvonne Pereira, trazendo ao leitor conteúdo valiosíssimo para conhecer a realidade espiritual do Centro Espírita. Isso somado à experiência mediúnica da própria autora, faz do livro uma obra indispensável para dirigentes e trabalhadores espíritas.

A abordagem dos assuntos é didática, com transcrições pertinentes e comentários que levam o leitor a profundas reflexões sobre a ação dos Espíritos nas atividades do Centro Espírita, e a responsabilidade dos seus cooperadores encarnados, principalmente nas reuniões mediúnicas, para a melhor sintonia com os benfeitores espirituais.

A autora nos remete o tempo todo para a importância do Espiritismo e do Centro Espírita, ressaltando a base fundamental que é o amor ao próximo, nas legítimas lições do Evangelho, conforme os ensinos e exemplos de nosso Mestre Jesus, que não podem deixar de ser prioridade nas lides espíritas, pois somente o amor pode renovar o homem e a humanidade. Também nos encanta a facilidade com que a autora cotejou textos dos espíritos André Luiz, Manoel Philomeno de Miranda e outros, mostrando a fidelidade do pensamento desses autores espirituais com os textos de Allan Kardec, base do Espiritismo. Aliás, neste ponto está um dos grandes méritos da obra, ao nos entregar estudos que entrelaçam os ensinos dos Espíritos, de Kardec e de Jesus.

Esclarece Suely Caldas Schubert sobre os alicerces espirituais do Centro Espírita, como se dá nos planos espirituais superiores a escolha do Mentor da casa, e os recursos magnéticos protetores do núcleo espírita, isso nos primeiros três capítulos, esclarecendo que nada acontece sem a proteção e controle dos benfeitiores espirituais, mas advertindo que eles respeitam nosso livre-arbítrio, por isso a necessidade de estudo, fé e vigilância constantes.

Na sequência da obra a autora desdobra a ambiência espiritual e a ação dos espíritos durante diversas atividades desenvolvidas pela instituição espírita: o serviço de passe, a reunião mediúnica, a psicofonia, a obsessão, o desdobramento mediúnico, o animismo. Dedica um capítulo para estudar o trabalho do médium Chico Xavier na recepção das chamadas cartas mediúnicas de jovens recém-desencarnados, com depoimento emocionante e conclusivo quanto à ação inequívoca dos amigos espirituais a nosso favor. Destaca igualmente a necessidade e amplitude de reuniões mediúnicas para os espíritos suicidas, que possuem trabalho especialíssimo dos benfeitores espirituais, sobre os quais realiza, em outro capítulo, belíssimo estudo.

Na introdução, temos uma séria advertência:

"Costumamos frequentar o Centro Espírita durante anos sem atentarmos para aspectos mais profundos da sua importância, pois o vemos apenas como o local onde vamos buscar ajuda, consolo, amparo e esclarecimento e onde se tem um bom ambiente espiritual, apropriado para as reuniões espíritas. Não nos damos conta de toda a complexa estrutura espiritual que mantém uma sede de atividades espíritas, no âmbito dos encarnados, para que ela possa atuar nos dois planos da vida. Entretanto, há alguns anos, estamos sendo conscientizados, principalmente através de mensagens dos instrutores espirituais, do que é, na realidade, o Centro Espírita e a prememte necessidade que temos de adequá-lo e preservá-lo de acordo com as diretrizes da Codificação, bem como dos cuidados com que a Espiritualidade Maior cerca e dispensa, ao longo do tempo, aos núcleos espíritas que estão incluídos entre os que são merecedores dessas providências, pelo trabalho sério, nobre e edificante que realizam".

Sim, existem centros espíritas e "clubes" espíritas, ou seja, aquelas instituições espíritas onde prevalece o achismo, a centralização de poder, a falta de estudo e de evangelização, com práticas em desacordo com a Codificação. Naturalmente essas instituições não podem merecer o amparo e dedicação dos Espíritos Benfeitores, que neles não encontram os elementos indispensáveis para essa proteção, ficando, portanto, essas instituições e seus trabalhadores à mercê de outros espíritos, moralmente inferiores e pseudo-sábios que, pelos fios sutis da obsessão vão comandando as atividades e ridicularizando o próprio Espiritismo. O capítulo 21 do livro é dedicado a esse assunto, vale a pena a atenta leitura.

Como dia o Espírito Manoel Philomeno de Miranda no livro Tormentos da Obsessão, psicografado por Divaldo Franco: "Diferença psíquica significativa tem que apresentar a Casa Espírita em relação a outros recintos de qualquer natureza, atestando, dessa forma, as qualidades dos seus trabalhadores espirituais e o tipo de finalidade a que se destina".

Encerro esta análise recomendando o livro Dimensões Espirituais do Centro Espírita, de Suely Caldas Schubert, e passando ao leitor as magníficas palavras da autora no trecho final da obra, quando fala sobre os Desafios do Centro Espírita no Tereceiro Milênio, em que destaca a tríade  "Espiritizar, Qualificar, Humanizar" trazida pela benfeitora espiritual Joanna de Ângelis através do médium Divaldo Pereira Franco:

"O hoje é véspera de bênçãos se soubermos preparar o amanhã que não tarda. Lançando um olhar ao futuro, anelo que o Espiritismo, como Terceira Revelação de Deus à Humanidade, cumpra o seu desiderato. "O Espiritismo será o que o fizerem os homens", adverte Léon Denis. Antevejo esse radioso dia, quando todos estivermos unidos, solidários, quando o amor sobrepujar nossas falhas e nos transformar definitivamente".

Boa leitura.

*Marcus De Mario é escritor, consultor educacional e empresarial e colaborador do Centro Espírita Humildade e Amor (Rio/RJ) e da Rádio Rio de Janeiro.